domingo, 29 de novembro de 2009

Lidando com a depressão!

Quem nunca se sentiu triste, cansado sem saber por que e sem vontade para nada? Todos temos um lado assim, que nos pede para descansar, relaxar e não nos preocupar com nada. Afinal, na nossa sociedade, vivemos tempos agitados. Sempre vemos um motivo para parar e deixar as coisas de lado. Trabalho, escola, estudos, obrigações...

Com tantos afazeres assim, muitas vezes nos esquecemos de nós mesmos. Nossos sonhos e metas, esquecemos das nossas necessidades, deixando-nos em segundo plano diante daquilo que parece realmente importante em nossas vidas. Nos preocupamos demais com o que é imediato, que esquecemos de cuidar de nós mesmos. Afinal, sonhar é importante, mas cuidar da vida é muito mais, colocá-los em prática e ver as coisas acontecendo.

Ou então vivemos pelo outro. Num relacionamento, abrimos mão de nossas vidas para ajudar o(a) companheiro(a) a realizar seus sonhos e suas conquistas, e deles desfrutamos como se fossem nossos. E novamente, nossos sonhos são deixados para depois. Sempre pra depois.

Mas ninguém além de nós mesmos tem culpa por isto. Compartilhar a vida pode parecer bom e importante numa relação, qualquer que seja (casamento, namoro, amizade, familiar...), mas a relação mais importante de todas nunca pode ser esquecida, que é "nós, com nós mesmos". Famílias crescem e seguem seu rumo. Casamentos podem terminar, e amigos podem parar sde se falar por 'N' razões. Mas nós nunca nos deixamos em paz, nunca partimos. Podemos, por uma série de razões, nos abandonar, mas cedo ou tarde a vida cobra seu preço, pelo tempo que passamos, e como o aproveitamos... se é que aproveitamos.

Apenas nós sabemos o que é bom pra nós. Pois como dizem, o que serve pra um pode não servir pra outro. Por não saber o que fazer, nos prendemos a conselhos, horóscopos, cartomantes, promessas, etc.. Mas no final, deixamos de escolher, de cuidar de nossas vidas.

Como mudar isso?

A resposta está nas pequenas coisas, nas mais insignificantes, pois todo edifício, por maior que seja, não passa de tijolos e concreto. Também a nossa vida é feita assim. Nossos tijolos são nossas metas, nossas conquistas e nossos ideais, e nosso concreto são nossas emoções. Se faltar um deles que seja, tudo vem à baixo. E não há culpados.

Assim, temos de olhar em volta. Mais do que pensar, temos de agir diante de nossa vida. Pois como falei, a solução está nas coisas mais insignificantes. Por exemplo, simplesmente sair de casa, abrir uma janela e receber o sol em nossos rostos. Banal? Talvez. Mas muito importante, pois há pessoas que sucumbem à depressão de tal maneira que nem isso conseguem fazer. Olham a vida pela janela sem nunca interagir. Conversam com seus amigos pelo telefone (ou internet), e já está de bom tamanho.

Mas o ser humano é um ser social, que precisa do contato. Precisa ver, falar, tocar... Só assim se sentirá completo. Precisamos da troca, do carinho de um sorriso, do calor de uma carícia, ou de um simples beijo no rosto para nos sentirmos vivos.

Então, pra começar nossos dias, eu sugiro simplesmente abrir nossas "janelas", parando de olhar o mundo através de uma película. Vamos vê-lo como realmente é, cheio de cores, e sonhos, e sentimentos, e lutas, e conquistas. Vamos construir nosso edifício o mais sólido possível. Pois devemos isto a nós mesmos.

Todas as manhãs, vá até a porta de casa, ou até o quintal, ou até a sacada ou janela do apartamento, olhe para o sol e deixe-se tocar por ele. Sinta o calor, respire o ar puro do mundo fora de nossas casas, de nossa "segurança", e vamos começar a viver nossas vidas.

"Nas grandes cidades, no pequeno dia-a-dia
O medo nos leva tudo, sobretudo a fantasia
Então erguemos muros que nos dão a garantia
De que morreremos cheios de uma vida tão vazia"
(Engenheiros do Hawaii - Muros e Grades)

Não mais sonhar, não mais esperar, tocar o chão com nossos pés descalços e sentir a energia que corre por nossas veias. Colocar a mão no peito e sentir nossos corações batendo, pedindo para viver...

Dizendo: "Mais... Mais.. Mais..."


2 comentários:

Renata Bertran disse...

Muito bom o texto!!!
Realmente nossa vida é uma só e devemos priorizar aquilo que é importante! Ninguém pode viver pela gente. A nossa verdade, aquilo que é bom para nós, ninguém mais pode dizer.

GABRIEL BERTRAN disse...

Excelente texto, que mostra o quanto é importante buscarmos nossa qualidade de vida. E muitas vezes ela está mesmo nas coisas simples, em nossos momentos de lazer, de "ócio produtivo", etc.
Parabéns ao blog, mais uma vez!!